Saiba como simplificar o controle financeiro integrando com as outras áreas

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Administrar o capital de uma empresa, seja do tamanho que for e no segmento em que atue, não é uma tarefa fácil. A gestão financeira merece toda a atenção, afinal, mais do que gerar capital, administrá-lo estrategicamente, potencializando resultados, é o segredo do crescimento.

E quem disse que isso precisa ser complicado? Neste post vamos conversar sobre como simplificar o controle financeiro integrando com as outras áreas da empresa. Obviamente, esta integração fica mais completa e segura com um bom sistema de gestão.

Veja, a seguir, algumas dicas de como tornar seu controle financeiro mais confiável e ágil:

O fluxo de caixa

O fluxo de caixa, basicamente, é o controle estratégico das entradas e saídas de dinheiro de dentro da empresa. Com ele, é possível identificar o quanto a empresa é lucrativa, mas também controlar o uso correto deste lucro para que o negócio se torne sustentável.

As ações da estratégia comercial também passam pelo planejamento e pelo acompanhamento minucioso do fluxo de caixa. Por exemplo: ao identificar que haverá algum problema financeiro antecipadamente, é possível intensificar a força de vendas para recuperar e manter o balanceamento do caixa da empresa.

Neste sentido, a integração do financeiro com as demais áreas da empresa é o diferencial das empresas que planejam suas ações.

A integração financeira com o ERP

Um bom sistema de gestão empresarial precisa ser integrado. É o que chamamos de ERP (do inglês Enterprise Resource Planning), um software utilizado para coletar, armazenar, gerenciar e interpretar dados de diversas atividades empresariais.

Com o ERP, o planejamento e o controle financeiro se tornam mais ágeis e confiáveis. O sistema ajuda a controlar contas a pagar e a receber, gerenciando todo o processo de recebimento de clientes, pagamentos a fornecedores etc. Também é possível categorizar as contas, dividir por centros de custos e fazer o planejamento de pagamentos, além de dividir os recebimentos por lotes, controlando o que entra via cartão de crédito, títulos ou cheques.

Uma outra facilidade que um bom sistema de gestão oferece é a conciliação bancária. Ou seja, o controle das contas bancárias da empresa, com emissão de boletos automáticos após o faturamento, bem como o recebimento via depósitos ou quando o cliente quita seus títulos.

A conciliação bancária tende a ficar mais complexa conforme o número de contas que a empresa tem para administrar. Também para isso, um bom ERP é essencial, pois ele ajuda a fazer um panorama de todas as contas, através de relatórios bem detalhados.

Como o sistema tributário brasileiro é um dos mais complexos do mundo, todo o cuidado é pouco. Também é preciso que o fluxo de caixa esteja integrado com os controles contábeis e isso se torna muito complicado quando a empresa utiliza várias planilhas que precisam ser consolidadas em determinadas épocas do mês e do ano. Um bom ERP alimenta automaticamente a Controladoria, inclusive fazendo os cálculos e fazendo as adaptações conforme as mudanças de legislação.

Por fim, para que o fluxo de caixa da empresa esteja sempre sob controle, os relatórios gerenciais obtidos com um ERP também são fundamentais. Em poucos cliques é possível gerar relatórios de demonstrativos de resultados, balancetes, entradas e saídas etc.

Saúde financeira e tomada de decisão

Ter um bom controle financeiro, além de garantir que a empresa esteja sempre saudável, sabendo quanto dinheiro dispõe e qual o mínimo que pode ser mantido em caixa e o que pode ser aplicado, também facilita a tomada de decisão dos gestores.

Investimentos, compras, expansão, contratação de novos colaboradores etc. Todas essas decisões ficam muito mais fáceis quando se tem um bom controle financeiro. É por isso que quanto mais integrada for a gestão financeira, melhor será o planejamento e a tomada de decisões.

Se é o total controle financeiro que sua empresa precisa, comece agora mesmo a buscar um bom ERP.