Descubra como melhorar a tomada de decisão em uma pequena empresa

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

O Brasil evoluiu muito na área do empreendedorismo nos últimos anos. O surgimento de novas empresas principalmente as MPEs foi um fator positivo, que além de outras questões, ajudou na criação de novos postos de emprego.

Porém, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e estatística) quase metade das empresas que iniciam suas atividades as encerram em até 3 anos.

Conforme indicado pelo SEBRAE, serviço de apoio à micro e pequena empresa, os principais motivos para o insucesso e o encerramento precoce das empresas são a falta de planejamento e uma gestão muitas vezes descontrolada, tais fatores gerando então decisões equivocadas por parte dos gestores.

Descubra como melhorar a tomada de decisão em uma pequena empresa e projetar um crescimento sólido!

Informação, fator fundamental para o gestor

Não é mais aceitável administrativamente “tocar um negócio” sem ter o domínio das informações atualizadas sobre os dados necessários à tomada de decisão. Números e controles das áreas: financeira, de estoque, vendas e até de recursos humanos, que são indispensáveis para gerir empresas.

Engana-se quem pensa que quanto menor for a empresa assim também poderá ser o controle e a gestão baseada nas informações em prol da tomada de decisões corretas!

Mesmo nas micro e pequenas empresas o conjunto de dados, estatísticas, projeções, registros e controles é necessário para proporcionar ao gestor subsídios para analisar com conhecimento de fatores decisórios importantes e partindo disto desenvolver ações.

Utilização do ERP na gestão

A evolução tecnológica desencadeou diversas mudanças, tanto nos tipos de organizações quando nas formas de gerir uma empresa. O perfil dos clientes também mudou radicalmente, assim como o dos colaboradores e sobretudo da “concorrência”.

O ERP (Enterprise Resource Planning) ou “sistema integrado de gestão empresarial” é uma ferramenta aliada do gestor ou proprietário da empresa. Ele gerencia recursos e informações integralizando e interligando dados das diversas áreas da empresa, fazendo com que inclusive a comunicação seja mais eficaz.

Como alguns exemplos da característica facilitadora desta ferramenta de gestão podemos indicar algumas hipotéticas situações:

– O responsável pelo financeiro pode ficar sabendo com agilidade qual o valor que terá que disponibilizar para o pagamento dos colaboradores com dados dos recursos humanos; 

– Um coordenador de área específica avalia a produção de um funcionário e em posse das informações pode interagir com o RH, assim como marketing e vendas entre outros exemplos.

Os controles efetuados em planilhas não práticas, como softwares “pesados” sem agilidade ou até mesmo sem a facilidade de interação, ainda com muito trabalho manual são fatores que causam prejuízo quando o assunto é competitividade, pois na melhor das hipóteses atrasam decisões que podem ser vitais para uma pequena ou média empresa.

Entre tantas outras vantagens da utilização do ERP podemos evidenciar algumas das quais o execom!erp oferece:

  • Customização: algumas empresas se diferem em necessidade de informações relevantes. É possível customizar, adaptar e ajustar o ERP de acordo com o tipo de negócio.
  • Utilização 24 horas: qualquer usuário habilitado pode ter acesso por 24 horas a todos os dados armazenados.
  • Diminuição de retrabalhos: ao apoiar na padronização e rapidez de processos a ferramenta possibilita agilidade decisória, redução de custos e por consequência crescimento da empresa.
  • Implantação: a implantação é bastante simples e não necessita de contratação de pessoal habilitado para tal.
  • Armazenamento de dados: eles são armazenados em servidores próprios, o que dispensa o gasto com outros servidores.
  • Áreas de atuação: financeiro, RH, operacional, vendas, marketing, jurídico, planejamento, atendimento, contabilidade, estoque e etc.

Em última análise é possível afirmar que a utilização do ERP como ferramenta de gestão na micro e pequena empresa além de ser vital para a competitividade irá melhorar a tomada de decisão dando ao gestor uma confiança maior na assertividade de suas ações!