Conheça 5 boas práticas para não ter problemas com cheques

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

O cheque, apesar de não parecer, ainda é muito utilizado e bem aceito por muitos estabelecimentos, principalmente para parcelar as compras. Para quem compra, a possibilidade de estender os prazos, muitas vezes, é mais interessante do que cartões de crédito ou boleto.

Porém, para quem aceita cheques como forma de pagamento em seu negócio, é preciso tomar alguns cuidados. Neste post, vamos conversar sobre 5 boas práticas para não ter problemas com cheques. Veja:

Conheça 5 boas práticas para não ter problemas com cheques

1 – Consulte a situação do cheque

Ao receber um cheque como pagamento, o primeiro passo deve ser a consulta da chamada “situação física”, ou seja, verificar se ele não está bloqueado, furtado/roubado, sustado ou revogado ainda que em caráter provisório, bloqueado pelo banco, cancelado, extraviado ou se é objeto de bloqueio judicial, de conta corrente encerrada.

Utilize a ferramenta Cheque Legal que é gratuita. Você só precisa preencher o número do CPF ou CNPJ de quem emitiu o cheque, o código CMC7 que consta no rodapé do documento e o seu número de CPF ou CNPJ.

2 – O que fazer com cheques sem fundos

Se, mesmo consultando a situação do emitente do cheque você for compensar e ele não tiver fundos, é cordial tentar contato com o cliente que pagou com o cheque. Se, mesmo assim, você tentar compensar por uma segunda vez e não haver fundos, prossiga da seguinte maneira:

Entre na justiça com uma execução de título extrajudicial para que, por meio de sistema eletrônico, o juiz bloqueie os bens (conta corrente e veículos automotores) e faça o ressarcimento. Caso o devedor não tenha nenhum destes bens, a justiça pode mandar à leilão todos os bens que encontrar.

O passo seguinte, caso a situação não seja resolvida, é a instauração de um processo criminal por estelionato, o que pode gerar até uma prisão ao devedor.

3 – Prefira cheques nominais

O cheque nominal, como o próprio nome já diz, é aquele em que escrevemos o nome da pessoa que está recebendo. Ao solicitar que seus clientes paguem com cheque nominal, você está dizendo ao banco que é preciso a sua identificação para sacar o dinheiro na boca do caixa.

Esta é uma medida de segurança, tanto para você que está recebendo com cheque quanto para quem está pagando, visto que se o cheque for roubado, outra pessoa não poderá compensar o cheque em seu lugar.

4 – Emita cheques cruzados

Para cruzar o cheque, basta colocar duas linhas com caneta em diagonal na parte superior esquerda. Assim, você está dizendo ao banco que aquele cheque não pode ser descontado na boca do caixa; é preciso que a pessoa em posse do cheque faça depósito para receber o crédito em sua conta corrente.

Ao cruzar o cheque, você garante que ele passará pelo processo de compensação, que ocorrerá somente no próximo dia útil, e evita que ele seja repassado para muitas outras pessoas, tendo controle de quando ele será depositado, conforme acordado com o receptor.

5 – Solicite cheque caução

Cheque caução é um cheque que você pode pedir como garantia de pagamento na hora de alugar ou vender algum produto ou prestar algum serviço. Mas, atenção, ele não deve ser deconstado, pois o cliente deverá pagar a dívida e retirá-lo no prazo acordado.

É uma saída bem interessante para prestar serviços a clientes que não trabalham com cartões de crédito e precisam parcelar suas compras; uma facilidade que você oferece ao consumidor.

Você já teve muitos problemas com cheques? Deixe um comentário contando pra gente!