7 indicadores do seu negócio que você deve ficar de olho

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

No meio da grande floresta composta por planilhas de fluxo de caixa e cálculos mirabolantes, muitos empreendedores se perdem e não sabem qual indicador é o melhor para fazer o negócio andar. Caso você não consiga sair dessa floresta utilizando um indicador, com certeza não sabe se o negócio está melhor ou pior. Nesse cenário, não dá para sair da mata fechada seguindo migalhas de pão ou gerando decisões equivocadas. Fazer um diagnóstico da saúde financeira da sua empresa é essencial, mesmo com poucos números.

 

7 indicadores imprescindíveis para avaliar a gestão da sua empresa

 

1. Faturamento

O principal indicador que os empresários costumam acompanhar é o valor total de vendas ou faturamento. Este número representa a quantidade de vendas realizadas pela empresa, destacando também se o mercado está aquecido ou não e auxiliando na medição de desempenho do setor de vendas. Para medir o resultado do seu faturamento, compare o número de vendas com a meta estabelecida no planejamento. Quando não há muitas vendas e a margem de lucro fica negativa, a receita está abaixo do esperado. Diante dessa situação, é necessário formular novas estratégias de marketing para conquistar clientes.

 

2. Lucratividade

A linha de balanço é a base para o cálculo da lucratividade. Para saber qual o percentual de lucratividade para a sua empresa, divida o lucro pelo faturamento uma vez por mês. Caso a empresa tenha um faturamento dentro do planejado naquele mês, mas não sobra nenhum valor, significa que há um descontrole de custos. Deve-se verificar de onde vêm esses gastos e tentar cortá-los. Para cada tipo de negócio, existem percentuais médios que são considerados bons. As indústrias precisam atingir lucros de 5%, e os negócios e prestação de serviços têm lucratividade de até 25%.

 

3. Recebimento

É importante ressaltar que recebimento é diferente de faturamento. Muitas empresas apresentam um número satisfatório de vendas, mas não há pagamentos devido à alta taxa de inadimplência. Para resolver esse problema, o setor financeiro deve excluir o cadastro de clientes inadimplentes, que podem comprometer a sua caminhada para o sucesso, e elaborar um programa de cobrança eficiente. O ideal é que o recebimento fique o mais próximo possível do faturamento.

 

4. Despesas

Para as pequenas e médias empresas, o descontrole de custos fixos é uma tendência. Estes são os custos que não variam com o faturamento, também chamados de despesas, que muitos empresários inexperientes não sabem controlar. Mensalmente, some estas despesas e avalie em que estão sendo aplicadas. Os custos fixos variáveis são aceitáveis, pois quando a empresa começa a vender mais, os custos também elevam.

 

5. Ticket médio

Outro número que serve como indicador é o valor do ticket médio. No varejo, basta dividir o volume de faturamento pelo número de vendas, o que resulta em uma média de gastos feitos por cliente. Com isso, você saberá se está vendendo mais itens de menor ou maior valor. Se medir por cliente, vai saber quem são os melhores compradores e prestar serviços ou atendimentos diferenciados a eles.

 

Aumentar o ticket médio é uma das formas de crescer o valor das vendas. É mais benéfico vender uma coisa a mais para um cliente que esteja na loja do que investir em publicidade para atrair novos consumidores. Normalmente, os problemas no ticket médio são originados de vendedores incapacitados. Para venderem mais por clientes e dominarem a lista de produtos, ofereça um treinamento.

 

6. Custo de produto

Um indicador indispensável para os comércios é o custo de produto em relação à venda. Divida o valor dos custos pelo de vendas, o que resultará em um percentual que deve ser controlado periodicamente. Se este for alto, significa que a empresa compra mais do que vende. E se for muito baixo, você está perdendo vendas por falta de estoque. O ideal é centralizar esse percentual.

 

7. Nível de endividamento

No Brasil, o valor do crédito é muito elevado. Por isso, é importante prestar atenção ao nível de endividamento. A empresa pode fechar no positivo, mas o pagamento de juros e dívidas consomem um valor superior ao do lucro. Deve-se trabalhar com bancos somente em extrema necessidade, a fim de evitar as altas taxas de empréstimos.

 

Quais indicadores você utiliza para diagnosticar a saúde da sua empresa? Compartilhe seus conhecimentos nos comentários!